Treinador Celso Rodrigues avalia decisão da CBF que limita troca de treinadores no Brasileirão

Eduardo Pires Comunicação - Produção de Conteúdo Esportivo - CLIQUE AQUI

Chapecó (SC) - No final do mês passado, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) confirmou uma modificação no regulamento para o Campeonato Brasileiro de 2021, incluindo as Séries A, B e C. A nova regra restringe a troca de técnicos, onde cada clube poderá demitir apenas duas vezes um treinador no decorrer do Brasileirão. A partir da segunda demissão, o cargo precisará ser ocupado por um profissional da casa, há seis meses na instituição. Da mesma fora, o sistema também é válido para os treinadores, que poderão se demitir apenas uma vez do cargo. A partir de uma segunda demissão, o técnico em questão não poderá mais assumir uma terceira equipe. 

Avaliação do treinador Celso Rodrigues

Para o treinador Celso Rodrigues, existem os dois lados da situação. De acordo com Celso Rodrigues, analisando a questão financeira dos clubes que contratam muitos técnicos, e gastam muito dinheiro pagando todos os direitos nas rescisões quando demitem todos, poderá reduzir este gasto. "O outro lado está o técnico que terá mais tempo e poderá seguir um planejamento dentro do clube, não ficando muito refém dos resultados que são sempre  imediatos, mas por ter pouca rotatividade no comando técnico das equipes, vai haver muitos desempregados, o que é muito ruim, pois muitos dependem do futebol para ter o sustento de suas famílias. Talvez essa regra de limites de trocas de treinadores poderia ser aplicada somente na Série A do Brasileiro, onde já existe uma rotatividade de grupo seleto de técnicos", destaca o treinador Celso Rodrigues. CLIQUE AQUI E LEIA MAIS NOTÍCIAS DO TREINADOR CELSO RODRIGUES

📷 Márcio Cunha